Visto para a China e procedimento na fronteira

CHINA, Novembro de 2018

 
Como tirar o Visto Chinês?
O visto Chinês poder ser tirado em qualquer embaixada ou consulado da China espalhado pelo mundo, geralmente em capitais, nós fizemos em Berlim na Alemanha. O procedimento e o valor são iguais em qualquer embaixada.
Tempo do visto
O visto da China para brasileiros sofreu algumas mudanças, hoje( novembro 2018) ele tem duração de 5 anos com múltiplas entradas no país, sendo que cada entrada não pode ultrapassar 90 dias.
Antigamente o visto durava só o tempo da viagem e a quantidade de entradas que você pedia, geralmente 30 dias.
Preço
Com essa mudança de duração do visto ele também custa bem mais caro agora, cerca de 180 euros por pessoa para brasileiros.

Tabela de preços em Berlim

Documentos necessários
*Passaporte original com prazo de validade maior que seis meses, ou seja, se estiver nos últimos seis meses de validade eles não aceitam.
* Comprovante de Hospedagem
Você precisa comprovar onde vai ficar durante todo o tempo que estiver na China. Para provar isso você pode levar, ou uma carta convite de um chinês ou uma reserva de hotel. Nós levamos 8 reservas feitas no booking, de 8 cidades diferentes para um período de 30 dias.
Dica: Faça no booking.com as reservas com cancelamento gratuito, depois que você imprimir as reservas você pode cancelar sem custos.
*Formulário preenchido
Nesse site aqui você imprime esse formulário e  depois preenche.
*Cópias das passagens de ida e volta (aéreas ou terrestres)
Dica
Se você é como a gente que sempre vai por terra, ou nunca sabe quando vai voltar, você pode imprimir uma passagem de mentirinha nesse site aqui
 Basta colocar os dados de um vôo real ( procure no decolar ou Skyscanner) e depois imprima a reserva.
Como e onde fizemos
Fizemos nosso visto no consulado da China em Berlim na Alemanha. De posse de todos documentos, chegamos lá e pegamos uma senha. Logo fomos atendidos por um agente que falava inglês.

Embaixada da China em Berlim

Entregamos os documentos e ele nos deu um recibo para retirar o passaporte dentro de 4 dias úteis. Para ficar pronto em 2 dias úteis eles cobram uma taxa extra de 60 euros mais ou menos. Na solicitação do visto, não precisa pagar nada, só na retirada.
No dia marcado, fomos buscar o passaporte. Se fosse negado, era só pegar o passaporte e sair chorando, mas para nossa sorte, foi aprovado e na entrega pagamos a taxa de 180 euros. Na Alemanha eles só aceitam em dinheiro vivo ou cartão de crédito da Alemanha, não aceita cartão internacional.

Visto chinês ocupa uma página do passaporte

Como foi a entrada.
Fomos pela Fronteira da Mongólia, saímos de Ulanbatar com um trem noturno que viajou a noite toda ( custou 25000 tugrik= 10  dólares). Chegamos de manhã na cidade de Zanin Uud, última cidade da Mongólia.

Trem para a fronteira em Ulan Bator – Mongólia

Na frente da Estação de Zanin Uud tá cheio de Jeeps velhos procurando passageiros para cruzar a fronteira. Começaram cobrando 40 mil tugrik por pessoa e acabamos pagando 20 mil ( 8 dólares), tem que pechinchar. Esses Jeeps te pegam na estação e te acompanham durante todo o processo na fronteira até te deixarem na cidade de Erliam, primeira cidade da China.
 Saiba como se locomover na China nesse post aqui
Fronteiras
O tempo total pra cruzar a fronteira foi de 4 horas, filas e mais filas para tudo.
Primeiro a fila de carro.
Na Aduana da Mongólia mais fila para carimbar a saída e passar as mochilas no raio-x. Para nossa surpresa tivemos que pagar uma taxa de 5 mil tugrik ( 2 dólares) por pessoa para a saída da Mongólia.
De volta ao carro, mais fila de carros. Na aduana da China, muito mais organizado com mais guichês e filas menores.
Na nossa vez, passamos por uma coleta de digitais muito diferente, a máquina dava as instruções em português. Com os mongóis era em mongol, ou seja, a máquina fala em qualquer idioma.
Após a coleta e de uma foto, o agente confere o visto e depois carimba a entrada.

O Carimbo de entrada é o arredondado

Após a coleta as mochilas  vão pro raio-x.
Apesar das 4 horas e das filas, foi tudo tranquilo. Sem perguntas ou revista detalhada.

Fronteira, lado chinês

Dica: De  Erliam você pode pegar o trem para outros lugares da China, mas se for comprar passagem pela internet certifique-se que vai conseguir chegar a tempo na estação, levando em conta as 4 ou até mais horas que ficará na fronteira.
O trajeto inverso ( China – Mongólia) é possível também, mas talvez seja necessário passar uma noite em Erliam.